Como melhorar a memória de forma natural? Aprenda métodos comprovados!

A capacidade de lembrar é uma condição básica para a aquisição de conhecimento e o desenvolvimento do pensamento abstrato e da inteligência, portanto, de certa forma, ao lado de sentimentos mais elevados, o fundamento da nossa humanidade. Sem esta capacidade, tornamo-nos um ser incompleto. É por isso que é tão importante cuidar desta valiosa capacidade. Como melhorar a memória? Tem de ser cuidado de forma multidimensional, tanto através de um estilo de vida e nutrição adequados, como através do exercício constante da mente.

O que é exactamente a memória humana?

A memória é uma função mental cognitiva que permite o armazenamento, armazenamento e reprodução temporários ou permanentes da informação. Considerando o tempo de armazenamento da informação, a memória de curto e longo prazo é diferenciada.

A memória de curto prazo também é chamada de memória operacional, caso contrário, memória de trabalho. Usamo-la quando precisamos de armazenar certas informações durante um determinado período de tempo, por exemplo, o número de telefone de que precisamos para tratar de um determinado caso ou o título do livro que queremos ler. A repetição sistemática da informação adquirida leva à memória a longo prazo.

A memória a longo prazo, por sua vez, inclui memórias descritivas e conscientes de fatos, eventos, conhecimentos teóricos e práticos, história da própria vida. O segundo tipo de memória de longo prazo é indescritível, inconsciente, incluindo, entre outros, os reflexos condicionais e hábitos e procedimentos. Os distúrbios de memória podem dizer respeito a diferentes tipos de memória e dar diferentes sintomas.

Mecanismos de problemas de memória

gráficos mostrando o cérebro numa lâmpada de luz

Todos se esquecem de alguma coisa, mas se essas lacunas são temporárias e acontecem esporadicamente, ainda não há nada com que se preocupar. Por outro lado, no caso em que as dificuldades em lembrar informações parecem ocorrer cada vez com mais frequência, deve-se consultar um médico, tanto mais que, inicialmente, distúrbios leves das funções mentais podem se transformar em doenças graves com o tempo.

Problemas de memória ou concentração podem acontecer em qualquer idade, mas o risco de ocorrerem aumenta com o tempo. Isto porque com o tempo os centros do córtex cerebral responsáveis pela memória se tornam cada vez menos eficientes, a capacidade do cérebro de absorver novos conhecimentos enfraquece, uma pessoa tem mais dificuldade com a concentração e o pensamento abstrato.

Tais perturbações ligeiras das funções cognitivas podem persistir por muitos anos sem levar a qualquer doença grave. Eles também não são uma regra que não permite qualquer exceção – certamente cada um de nós conhece pelo menos uma pessoa que, apesar de sua idade avançada, mantém plena capacidade mental.

Algumas vezes, porém, inicialmente, as desordens leves são o início da demência senil ou da doença Alzheimer, como resultado da qual o tecido cerebral sofre uma degeneração gradual, de modo que em algum momento o paciente não pode mais funcionar independentemente.

Os problemas de memória também ocorrem numa idade mais precoce, e podem ser causados por doenças como insuficiência hepática, glândula tiróide, doença renal, infecções do sistema nervoso, deficiências vitamínicas e tumores cerebrais. Os distúrbios de memória também são causados por algumas drogas psicotrópicas, e até mesmo pela depressão ou redução do humor. Na maioria dos casos, são perturbações reversíveis.

Leia também uma revisão de um suplemento dietético para uma boa memória e concentração: Extra Mind

O que é bom para a memória e concentração? Caminhos familiares

nozes esmagadas, martelo

Em primeiro lugar, a dieta

Como melhorar a memória através de uma dieta apropriada? O assunto é simples – enriquecer o menu com ingredientes que afetam a eficiência das funções mentais. O nosso cérebro trabalha constantemente em alta velocidade, por isso precisa de um fornecimento constante de energia, e em grandes quantidades. Estima-se que o cérebro consome até 25% da energia fornecida ao corpo com alimentos, incluindo quase metade da glicose. Assim, para desfrutar de uma alta eficiência mental e boa memória, o cérebro precisa de ser alimentado adequadamente.

A importância chave das vitaminas e minerais

Nossa dieta deve, antes de tudo, fornecer ao corpo a quantidade certa de vitaminas e minerais. Neste caso, as vitaminas B são essenciais. A vitamina B1 desempenha um papel importante na transmissão de impulsos nervosos, e a sua deficiência causa danos às células nervosas.

Uma deficiência de B6 resulta na deterioração da memória e no envelhecimento não natural das células nervosas. Por sua vez, o ácido fólico, ou seja, a vitamina B9, que participa em muitos processos bioquímicos importantes, protege não só de graves distúrbios de saúde, mas também da degeneração do tecido nervoso. Outras vitaminas deste grupo, tais como B3 e vitaminas A, C e E, também são importantes para os processos de memória.

Minerais como o magnésio, potássio, cálcio, zinco, fósforo, ferro apoiam o cérebro melhorando a condução dos impulsos nervosos. Eles também têm propriedades antioxidantes, que vale a pena lembrar. E assim: o magnésio, que se encontra, entre outras coisas, em produtos lácteos, produtos integrais, sementes e nozes, suporta a concentração, assim como alivia a tensão e o stress, o que certamente não serve à eficiência mental.

O potássio melhora a oxigenação do cérebro, o fósforo melhora a inteligência e a memória, o zinco protege o sistema nervoso contra os radicais livres. O cálcio suporta a condução de impulsos nervosos e musculares, o ferro, por ser um portador de oxigênio, assegura a oxigenação adequada do cérebro.

Ácidos ômega 3, proteínas, carboidratos

A importância dos ácidos ômega 3 insaturados para o corpo não pode ser superestimada. Eles previnem muitas doenças, incluindo o sistema nervoso, suportam a função cerebral, melhoram a memória e a concentração, reduzem o risco de demência.

Por sua vez, a proteína é um importante bloco de construção, também para o cérebro, responsável pela regeneração adequada das células nervosas, pelo que não deve faltar no nosso menu, tal como os hidratos de carbono. São uma valiosa fonte de energia para o cérebro, mas por razões de saúde e por causa da nossa figura, devemos evitar os monossacarídeos e usar açúcares complexos presentes em produtos de cereais integrais, leguminosas, raízes e vegetais de folhas, entre outros.

Nossa dieta também deve incluir produtos que são fonte de lecitina – uma substância particularmente importante, especialmente para pessoas afetadas por deficiência mental, especialmente memória e concentração. Para prevenir a sua deficiência, devem ser consumidos diariamente produtos de soja, ovos e peixe duas vezes por semana, vegetais verdes e, ocasionalmente, nozes e amêndoas.

Como exercitar a memória, ou treino do cérebro

Mental Health Inscrição de rabiscos

Para que o cérebro seja eficiente e constantemente ativo, ele precisa ser treinado, especialmente no caso de idosos, ou deterioração temporária das funções mentais. Treinar o cérebro certamente terá um impacto positivo no seu desempenho. Se continuarmos a mobilizá-la para o trabalho, enquanto cuidamos do fornecimento adequado da energia necessária, a nossa memória não nos decepcionará, mesmo numa idade mais avançada. E temos toda uma gama de possibilidades – exercícios, jogos mentais, terapias psicológicas.

A maioria dos exercícios são muito simples, podemos facilmente fazê-los nós mesmos em casa, além do mais, podemos inventar novas técnicas de treinamento mental. Pois o que é diferente da memória, associar e concentrar exercícios é resolver palavras cruzadas e charadas, tarefas matemáticas, ler textos difíceis ou outras atividades do gênero.

Podemos jogar scrabble, xadrez ou alguns jogos de cartas, como bridge. Existem também exercícios manuais simples para melhorar a função cerebral, por exemplo, fazer uma actividade simples com a mão esquerda (no caso de canhotos com a mão direita) ou o treino dos olhos – cambaleante com oitos, conduzindo da direita para a esquerda e vice-versa.

Como melhorar a memória – mais movimento!

A actividade física está intimamente relacionada com a condição do cérebro. Numerosos estudos têm demonstrado que o movimento sistemático, ao melhorar a oxigenação do cérebro, aumenta a sua capacidade de armazenar e processar informação. Além disso, tem sido demonstrado que o movimento constante reduz o risco de doença Alzheimera e Parkinson, e as pessoas que fazem exercício físico regularmente afectadas pela doença Alzheimer têm mesmo melhorado a memória. O tipo de esporte não importa aqui, a regularidade e regularidade conta, e exercícios aeróbicos leves podem ser realizados por pessoas de todas as idades.

Dormir para melhorar a memória

O sono é essencial tanto para a aptidão física como para a saúde mental e bem-estar. E embora nós mesmos saibamos que não somos capazes de pensar e agir bem quando não estamos dormindo, muitas vezes ignoramos essa importante necessidade fisiológica. Entretanto, a privação do sono ou sono de má qualidade não só causa perturbações das funções mentais de um determinado dia, mas também, a longo prazo, pode afectar negativamente a memória a longo prazo. Portanto, vamos garantir uma boa noite de sono, ainda mais porque desta forma também reforçamos a imunidade do corpo.

Redução do stress

O stress é igualmente prejudicial à memória, concentração e associação. Pode até causar alterações em certas áreas do cérebro, levando a perturbações da memória a curto e longo prazo. E como isso é inevitável hoje em dia, você tem que aprender a gerenciá-lo. O método mais simples de redução do stress é utilizar técnicas de relaxamento, tais como exercícios de respiração profunda. Não deixe o estresse passar, e você certamente notará em breve uma melhora na sua memória e melhor capacidade mental em geral.

Como melhorar a memória através da suplementação?

comprimidos num copo, flor amarela no fundo

Suplementos baseados em ingredientes naturais podem ser usados para apoiar a função cerebral. Uma variedade de comprimidos e preparações estão disponíveis no mercado para ajudar a melhorar esta e outras funções cognitivas. Vale a pena destacar o papel dos suplementos contendo os chamados nootropes, ou seja, substâncias que apoiam o equilíbrio natural dos processos que ocorrem no cérebro, em particular a ação dos neurotransmissores. Têm também propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, protegem o cérebro contra hipoxia, envelhecimento precoce e toxinas.

Os nootropes mais conhecidos à base de plantas incluem, entre outros:

  • Bem-vindo sluggish, ou ashwagandha, não sem razão chamado ginseng indiano, conhecido há séculos, com uma vasta gama de aplicações;
  • o gothroat asiático, ou gotu cola, bem como saudações que afectam as funções cognitivas;
  • Bacopa monnieri (bacon com folhas finas), não só tem um efeito benéfico no cérebro, como também é útil no combate a muitas doenças;
  • gingko – Ginkgo biloba, entre inúmeros benefícios pró-saúde, deve ser mencionado o seu efeito positivo sobre o cérebro e as funções cardiovasculares.

Outras plantas valiosas com efeitos neuroprotectores são:

  • ginseng,
  • Limonada chinesa,
  • o rosário da montanha,
  • Cacaueiro.

Descubra o melhor suplemento dietético multiingrediente do mercado para melhorar a sua memória e mente: Brain Actives

Brain Actives

Fontes:

Category: saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Article by: admin